Esquadrão de Demonstração Aérea - EDA

Estrada de Aguaí, s/nº - Pirassununga/SP

Esquadrilha da Fumaça

Esquadrilha da Fumaça é o nome popular do "Esquadrão de Demonstração Aérea" (EDA),um grupo de pilotos e mecânicos da Força Aérea Brasileira que fazem demonstrações de acrobacias aéreas pelo Brasil e pelo mundo.

As origens da Esquadrilha da Fumaça remontam ao início da década de 1940, quando foi criada a Escola de Aeronáutica na Base Aérea dos Afonsos, na cidade do Rio de Janeiro. Originada pela iniciativa de instrutores de voo da antiga Escola de Aeronáutica que em suas horas de folga treinavam acrobacias em grupo, com o intuito de incentivar os cadetes a confiarem em suas aptidões e na segurança das aeronaves utilizadas na instrução.

A primeira demonstração aérea oficial do grupamento que formaria a Esquadrilha da Fumaça ocorreu em maio de 1952, para uma comitiva estrangeira que visitava a Escola. Formava-se ali o embrião da Esquadrilha, dentro da Escola de Aeronáutica. Após algumas apresentações, percebeu-se a necessidade de proporcionar ao público uma melhor visualização das manobras executadas. Com isso, em 1953, acrescentou-se na aeronave utilizada a época, o T-6, um tanque de óleo exclusivo para a produção de fumaça.

Em 1969, a Escola de Aeronáutica foi renomeada para Escola de Aeronáutica da Academia da Força Aérea (AFA) permanecendo na Base Aérea dos Afonsos até 1971, quando foi transferida para a cidade de Pirassununga, no estado de São Paulo. Em 1982, depois de seis anos de inatividade, a Esquadrilha da Fumaça foi reativada como a nova denominação de Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA).

 

Missão

"realizar demonstrações aéreas a fim de difundir, em âmbito nacional e internacional, a imagem institucional da Força Aérea Brasileira (FAB)"

 

Acidentes

No dia 28 de novembro de 1961, na cidade de Florianópolis em Santa Catarina. Durante uma solenidade militar, realizada na época do comando do coronel Lara Ribas. dois aviões modelo Texan T-6 se colidiram no ar. O avião pilotado pelo Capitão Durval Pinto Trindade perdeu o leme e caiu no Centro da cidade, O desastre foi nas proximidades do Largo Benjamin Constant. Por essa razão, o local ficou conhecido como Praça do Avião. O outro piloto com a asa danificada conseguiu fazer um pouso de emergência na Base Militar de Florianópolis.

No dia 1 de maio de 1995, o Capitão Cláudio Gonçalves Gamba, piloto da aeronave número 7 do EDA, morreu após não conseguir se recuperar da manobra Lancevak, na apresentação no município de Rio Negrinho. Após esse acidente a manobra foi retirada do display do EDA por ser muito perigosa, substituída pela Grossura com efeito visual parecido.

No dia 2 de abril de 2010, o Capitão Anderson Amaro Fernandes, piloto da aeronave número 7 do EDA, morreu ao chocar sua aeronave contra o solo durante a manobra Snap Roll, na apresentação no município de Lages.

fonte: wikipedia 

informações de contato

site 
fab.mil.br/eda

e-mail 
contato@esquadrilhadafumaca.com.br

telefone 
19 3565 7236

apoio

curso-conserto-e-manutencao-de-celular-ganhar-dinheiro

horário de funcionamento

Visita ao hangar
Sábados e Domingos: das 10:00 às 12:00 e das 14:00 às 16:00

Entrada gratuita!!

Consulte a agenda de demonstrações e acompanhe a Esquadrilha da Fumaça

redes sociais

ao vivo

veja o que acontece ao vivo em alguns aeroportos ao redor do mundo → clique aqui!!

como chegar